I’m back!!

Eu sei, eu sei, tenho deixado-vos abandonados. Têm sido uns meses cansativos! Mas quero partilhar o que tem sido estes últimos tempos. Em dezembro fui até Cabo Verde passar o Natal com a minha família. Como já vos disse, viajar é das coisas que mais gosto de fazer! Quero partilhar um pouco do que foi estar duas semanas nesse lindo país. Portanto, os próximos posts estarão focados nisto. Vou começar pelo “Soncent International Festival” que foi a 17 de dezembro, três dias depois de ter chegado. Foi o primeiro festival e promete mais para os anos que aí vêem.

Devem estar a pensar, o que é Soncent e porque é que é internacional? É um nome um pouco invulgar, mas Soncent significa São Vicente, que é uma das ilhas de Cabo Verde. Este festival foi de reggae e a atuação principal foi de “Mo’Kalamity & the Wizards”. Como convidados, Omar Perry e os Reggaebus Sound System invadiram o palco. Omar Perry é um conhecido cantor jamaicano. Já os Reggaebus Sound System, vieram da Bélgica.

A banda The Wizards é francesa e a cantora Mo’Kalamity é cabo-verdiana, o que deu um toque especial ao festival. Sempre muito alegre e com entusiasmo, ela manteve-nos a dançar a noite inteira. Cantou as suas canções mais conhecidas, trouxe música nova e surpreendeu o público com música na sua língua materna. Sempre presente esteve a alegria e confraternização.

O festival começou com DJ Fatboy e Reggaebus Sound System a dar início à festa. Com o avançar das horas, o espaço aberto foi enchendo. Já não havia tanto espaço perto do palco, mas isso já não importava, todos queríamos desfrutar da música e passar um bom tempo com os amigos.

No meu caso, fui acompanhada da minha prima. Ela estava à procura de companhia para o festival e eu não perdi a oportunidade de juntar mais uma memória ao lado dela. De todos os primos somos as únicas meninas e cada tempo que temos só as duas é sempre uma alegria.

Ao terminar a noite, a cantora e a sua banda fizeram um pequeno tributo à Cesária Évora. Deram um toque de reggae à musica desta tão afamada cantora e tornaram este festival diferente.

Percebi que há momentos que se tornam eternos quando passamos na companhia das pessoas corretas.

“One Word, One Love, One Heart”

Advertisements

Rota dos Descobrimentos Musicais

Ainda estou a contar um bocadinho de mim em cada post e este quero dedicar à música. O meu gosto musical é completamente comum e previsível. Não consigo falar sobre Rock&Roll e muito menos sobre música clássica. Amor pela música tenho, mas não tenho uma paixão como várias pessoas podem ter. Como devem calcular (por ter passado uns anos na América Latina), eu gosto de ritmos latinos! É realmente aquilo que me põe a mexer os pés. Mas quero deixar bem claro que reggaeton não faz parte dos estilos que gosto, e para ouvir cumbia é só a colombiana.

O ritmo latino que mais me tem apaixonada é bachata. Por ser uma pessoa que gosta de coisas românticas, é normal que goste assim tanto! As letras são românticas. E a forma como cantam é romântica! Neste momento, só ando a ouvir Prince Royce. Foram tantas as vezes que disse que não gostava, que agora é do que mais gosto de ouvir. Para mim é sempre bom poder dar uns passinhos em casa mesmo quando não se sabe bem o que se está a fazer.

Claro que o Prince Royce não é o único artista que eu gosto. Há muitos anos atrás, as canções do Ricardo Arjona começaram a fazer “sentindo” na minha cabeça. Desde essa altura que não o largo. Ele é muito amado principalmente pelas mulheres. São raros os rapazes que gostam, mas ainda existem alguns. Ele só escreve canções de amor e sobre o amor. A maioria é de amores desastrosos ou então ele reclama com o amor por ser um “ingrato”, como refere numa das canções.

Continuando na odisseia de desvendar os artistas previsíveis que eu tanto gosto…

Gosto imenso do Nick Jonas! Mas muito mesmo! Acho que as canções dele são muito boas desde que ele era adolescente. Para ser mais específica, desde a altura dos Jonas Brothers (que também era fã) que gosto do Nick. E como se sabe ele é o melhor amigo da Demi Lovato. Outra pessoa em que tenho grande paixão pelas canções e a voz. A Demi tem uma voz mesmo invejável!! Por mais que apareçam novos talentos nos Estados Unidos, sou sempre “fiel” aos dois.

Agora viajando para este continente e deixando as Américas, há 4 anos descobrir um guitarrista espanhol com uma linda voz chamado Pablo Alborán. Desde que o ouvi pela primeira vez que fiquei encantada. Gosto de cada canção e gosto ainda mais do sentimento que põe cada vez que canta. É dos artistas que mais gosto de ter conhecido e de ter dado tempo para ouvir as canções.

Eu sei que não é algo extraordinário, mas estes são os cantores que gosto de ouvir. 🙂