A primeira vez que o meu mundo caiu

IMG_0345.png

“A minha vida teve uma volta de 180 graus aos oito anos. Mudei de uma realidade para outra completamente diferente.”

É assim como me apresento, mas que mudança é essa? Aos oito anos o meu mundo desabou. Até parece um exagero, vindo de uma criança, mas essa é a melhor palavra que descreve o que senti.

Mudar de casa não é fácil. Na realidade é cansativo. Pôr tudo em caixas, tirar tudo de caixas. Ver a melhor forma de arrumação e como mudar tudo de um lado para o outro, cansa em demasia. Mudar de escola também não é fácil. Fazer novos amigos nunca é. Pelo menos para mim foi sempre complicado. Aquela pergunta que sempre me acompanhou é: “como me aproximo?” Agora, mudar de casa, de escola e de país é ainda mais complicado. Pior quando vais para um país em que nem o idioma sabes.

Lembro-me perfeitamente do dia em que os meus pais deram-me a notícia que tudo ia mudar.

Fomos ao centro comercial. Estava a comer e perguntaram-me, “onde gostavas de ir de férias?”. Tinha oito anos, o meu sonho sempre foi ir a Paris!Claro que foi uma opção e Espanha também não ficou para trás. Mas de repente foi-se para mais longe. A pergunta já não era onde gostava de ir, mas se gostava de ir para a América Latina. Quem não gostava de ir conhecer Brasil, não é? Claro que disse que gostava. E, de ir de férias, a proposta já era ir viver na Argentina.

Foi duro, comecei logo a chorar. Lembro-me perfeitamente de ter posto a cabeça entre os braços sobre a mesa e não querer levantar mais para as pessoas não verem que estava a chorar. Não queria deixar os meus amigos da escola. Não queria deixar a minha segunda família da igreja. Não queria deixar a minha casa. Queria o meu cantinho.

Uma vez que aceitei a nova realidade, comecei logo a mentalizar-me que não ia aprender um idioma, mas dois. Foi um desafio novo, ou até o meu primeiro grande desafio nesta vida. Comecei a aprender inglês com os jogos interativos e a esperar que o espanhol não fosse tão difícil de entender e aprender.

24 de Agosto de 2005 ficou marcado para o resto da minha vida. Saber que estava a entrar na zona de embarque do aeroporto sem bilhete de regresso foi terrível. Não queria embarcar para o desconhecido. Pisei a terra argentina a 25 de Agosto e desde esse dia tudo mudou. Deixei de ser a Nicole que conhecia apenas uma realidade e comecei a conhecer muitas. Deixei de ser a Nicole que tinha os mesmos amigos de sempre e comecei a procurar novos. Deixei de ser a Nicole sempre muito mimada para aquela que ninguém conhecia. Tornei-me numa Missionary Kid.

Mesmo com tudo isto que mudou, eu cresci. Em vez de fechar-me no meu mundo, aproveitei para desfrutar esta vida ao máximo. Aprendi a comunicar-me com as pessoas à minha volta. Criei novas amizades. Novas lembranças. Se bem que nem tudo foi um mar de rosas e tive de lidar com certas realidades, foram 6 anos de aprendizagem.

Foram 6 anos que não mudo por nada.

Advertisements